Dá para evitar a conjuntivite?

Começa com a sensação de um incômodo ocular, como se houvesse um cisco, uma “poeira” que nos obriga a piscar várias vezes. Em pouco tempo, a conjuntiva, isto é, a membrana que envolve a parte externa dos olhos e o interior das pálpebras, vai ficando cheia de vasos congestos, o que lhe dá a cor vermelha característica de que algo não está bem. Arde, coça e dói. As pálpebras incham e junto com tudo isso aparece aquela secreção amarela, um catarro, que gruda os olhos e atrapalha a visão. Aumenta o lacrimejamento. A luz do dia incomoda. Dá vontade de ficar com os olhos fechados. Pode acometer um olho só, ou ambos, não necessariamente ao mesmo tempo.

Estes sintomas, com maior ou menor intensidade, caracterizam a conjuntivite!

A lágrima é um lubrificante fundamental e obrigatório. Constituída por água, sais minerais (por isso é salgada) e gordura, é uma excelente defesa dos olhos. Por isso piscamos incontáveis vezes ao dia. No inverno, com os dias mais secos e poluídos, nossos olhos também ressecam e ficam muito mais expostos a processos alérgicos ou  agressões infecciosas.

Dá para diferenciar a conjuntivite infecciosa da alérgica?
Sim. A conjuntivite por alergia se caracteriza pela intensa coceira. As pálpebras em geral incham bastante e os olhos ficam vermelhos. Não há secreção amarelada, a não ser que haja uma contaminação secundária. Na conjuntivite alérgica, é essencial descobrir quem é  o alérgeno responsável que provoca a reação.  Limpar, hidratar e evitar coçar são as orientações mais evidentes. Há colírios antialérgicos, mas só o médico é que pode indicar.

Dá para saber se a conjuntivite infecciosa é causada por vírus ou por bactérias?
Sim. A conjuntivite viral em geral deixa os olhos extremamente inchados e vermelhos. Pouca secreção amarela. Incomoda demais, o lacrimejamento é intenso e a sensação de ter poeira nos olhos é bem forte. Leva em média uns 15 dias para melhorar. O tratamento é dirigido ao alívio dos sintomas, com compressas frias e colírios lubrificantes. A conjuntivite bacteriana, por sua vez,  se caracteriza pela produção de bastante secreção amarelada, muito inchaço e vermelhidão. O tratamento é feito com colírios antibióticos indicados pelo médico. Dura em média de 7 dias para sarar.

Conjuntivite é contagiosa? Por quanto tempo?
As conjuntivites causadas por vírus ou por bactérias são bastante contagiosas. Por isso, crianças com conjuntivite não devem frequentar escolas, creches e muito menos berçários. Adultos devem evitar contato próximo com outras pessoas. As conjuntivites infecciosas são contagiosas enquanto os sintomas agudos persistirem, o que pode levar de 7 a 14 dias.

Como evitar a conjuntivite?
A conjuntivite em geral passa pelas mãos ou objetos contaminados com as lágrimas ou secreções. Normalmente  não prestamos atenção quantas vezes, ao longo do dia, colocamos as mãos nos olhos. Inúmeras. A mucosa ocular é muito sensível. Por isso, a melhor forma de prevenção ainda consiste na lavagem constante das mãos e em se policiar para não colocar as mãos nos olhos.

Vamos às dicas:

1. Lave as mãos. Sempre e com frequência. Especialmente depois de frequentar locais onde muitas pessoas colocaram as mãos como, por exemplo, o transporte público.

2. Fique ligado e atento: evite coçar os olhos com a mãos. Nem pense em fazer isso com as mãos sujas.

3. Evite compartilhar toalhas de rosto, maquiagens, óculos ou outros objetos de uso pessoal.

4. Use óculos de proteção em piscinas ou se você tem alguma atividade que possa agredir os seus olhos.

5. Mantenha seus olhos hidratados. Lave-os com soro fisiológico. Se preciso, use colírios lubrificantes com indicação do seu médico.

Enxergue sempre a vida com bons e saudáveis olhos!

Via Dra. Ana Escobar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *