Autismo na família: Quando a mãe tem o apoio do pai

Sabemos como uma notícia de uma criança com Autismo na família pode desestruturar toda a organização familiar. Sabendo disso pesquisadores resolveram estudar o impacto das relações familiares. Assim estudos acham que o engajamento paterno junto ao bebê  é particularmente importante para a saúde mental da mãe  quando  a criança desenvolve autismo. Em entrevista ao Maternal and Child Health Journal , os pesquisadores mostraram associações entre o estilo de cuidado do pai quando um bebê tinha 9 meses e o aparecimento de sintomas maternos de depressão quando seu filho chegou aos 4 anos.  Estes seguiram os pais de 3.500 crianças, incluindo crianças com TEA e 650 crianças com outros transtornos de desenvolvimento.  Eles constataram que mães de crianças com TEA relataram muito menos sintomas de depressão quando seu filho tinha 4 anos no contexto onde os pais se envolveram muito mais nos cuidados e tiveram uma conduta mais ativa na condução compartilhada desta criança como acalmar o bebê ou levá-lo junto da mãe ao médico.  Por outro lado, os pesquisadores não viram diferenças significativas no comportamento da mãe nos casos onde a criança era neurotípica ou em caso de outros transtornos do desenvolvimento.

O envolvimento do pai nos cuidados de uma criança com TEA pode ser especialmente fundamental quando comparado com outras condições pois pesquisas prévias tem evidenciado que mães de autistas tem maior risco de estresse elevado, depressão e ansiedade do que outras mães.

Curta a página da Associação Novo Rumo no Facebook!

A pesquisa traz implicações muito importantes mostrando como a mãe, sozinha, não tem plenas condições emocionais de dar conta de suprir as necessidades de seu filho com TEA.  O casal, unido, tem maiores recursos emocionais . Além do mais, a pesquisa reflete , indiretamente, que o envolvimento de mais componentes da família (avós, tios, madrinhas, primos, etc.) tem papel significativo na estabilização de um ambiente mais confortável para a mãe ao ser confrontada com o desafio de conduzir seu filho com TEA

Via Entendendo o Autismo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *